9ª Expoalagoas Genética fatura de R$ 2,5 milhões e coloca Alagoas no topo dos eventos agropecuários

0
96

Com 930 animais e mais de 200 criadores de todo Nordeste em atividade no Parque da Pecuária, de 13 a 19 de maio ,  a 9ª Expoalagoas Genética consagrou-se como maior exposição em participação animal e em faturamento da  Região no primeiro semestre. O evento contabilizou a movimentação de  R$ 2,5 milhões através de vendas de animais em três leilões e vendas diretas.

 Segundo a ACA, a edição contou com 100 equinos quarto de milha na Copa Organnact de 3 Tambores; 170 mangalarga marchador no Campeonato Nordestino; 160 gir  e 100 girolando presente nos julgamentos da Mega Leite Nordeste, além de 400 ovinos santa inês   disputando  a  Exposição Brasileira da raça.  Na parte técnica, a palestra sobre avaliação genômica de bovinos leiteiros e o curso “exterior do cavalo e resenha” formaram criadores.

 De acordo com Domicio Silva, presidente da ACA, Alagoas cumpriu seu papel nacional em reunir  cada núcleo da produção pecuária. “Foi uma exposição diferente, em clima de confraternização com o  compromisso de mostrar o trabalho de cada produtor rural  e de promover conhecimento. Tivemos um ano com bastante adesão de profissionais, estudantes e criadores, reunindo todos os setores num só evento”, comemorou Domicio.

 Três grandes leilões foram realizados  com recorde de vendas. O abre-alas foi o Leilão Alagoas, realizado na sexta-feira, 17, com o faturamento de R$ 268.800,00. O segundo aconteceu no sábado (18), faturando R$ 1.164.000,00  com a venda de equinos quarto de  milha. O Leilão Genética de Berço  encerrou a exposição com  crescimento de 26%, no domingo (19), arrecadando R$ 738.000,00.

Segundo Rodrigo Loureiro, diretor de eventos da ACA e presidente da Agreste Leilões, os remates figuram entre os maiores do País. “São leilões de criatórios de referência nos seus contextos, com produção consolidada o ano inteiro e compromissada com  o desenvolvimento das raças”, salientou Loureiro.

Setor firme

O sucesso da exposição, ainda segundo Loureiro,  mostra que o criador está firme  mesmo enfrentando a instabilidade da economia. “O trabalho desenvolvido pela ACA  bom como com criadores do Nordeste mostra muita competência exatamente ao exibir a qualidade animal nas atividades de pista. Não houve baixa técnica, pelo contrário, tivemos os melhores animais do nordeste. Isso mostra o quanto precisamos valorizar as exposições agropecuárias e a prezar pela união de criadores”, chamou atenção Rodrigo.

Na Expoalagoas Genética, criadores a Bahia, Piauí, Sergipe, Paraíba, Ceará, Pernambuco e Alagoas trocaram experiência com  convidados vindos do sul e sudeste sobre genética, manejo e  mercado. “Alagoas é um grande exemplo da influência  na pecuária com a credibilidade de exposições como Expoalagoas Genética e Expoagro. Quando junta-se as duas principais exposições com eventos do setor,  somos o estado que mais se destaca  no Brasil com esse eventos. Isso prova o quando nossa vocação  natural para pecuária e o quanto nossa genética é dinâmica.   Que venha a Expoagro para continuarmos impulsionando o setor”, finalizou Domicio Silva.

COMPARTILHAR